26 de fev de 2009

George Henrique - 18/10/2008

No início da década de 90, Santos tinha uma cena forte e consolidada. Nesse período, George morava na Baixada Santista e presenciou o surgimento de bandas importantes. O jornalista relembra de um show em especial e do contexto da época.



Pedro Carvalho - 11/10/2008

Do dia 11 de outubro de 2008, numa noite chuvosa, Pedro Carvalho (Newspeak, I Shot Cyrus), nos recebeu em sua casa e concedeu a entrevista que “inaugurou” o documentário. Falou por pouco mais de duas horas , de suas lembranças mais antigas sobre o punk, do primeiro contato e desenvolvimento da cena, bandas, amigos, viagens, tudo com muito bom humor. No trecho selecionado, ele fala de dois shows marcantes.

24 de fev de 2009

o projeto

Durante a década de 90 tive bandas, organizei shows, distribuí fanzines, demo tapes e cds. Conheci cidades gastando o mínimo ou quase nada, graças a uma rede incrível de ativismo, solidariedade e amizade. Rede essa, que talvez seja a melhor herança da geração anterior do punk. Os anos se passaram e de porteiro de prédio na distante zona sul paulista, me formei historiador. Aprendi que o que nao se registra, se perde no tempo.
Puxava de minha memória, a fala entre uma música e outra que inflamava o coração de garotos e garotas. Revendo e passando as páginas de antigos fanzines, vi que tudo isso merece ser registrado. A idéia de resgatar a memória da geração dos anos 90 na cena Hardcore de São Paulo e outras cidades, sempre apareceu na conversa com meus amigos. Eu tinha uma preocupação imensa de que essa idéia viesse a ser executada por uma pessoa que não fizesse parte do meio. Ou por algum jornalista que gerasse algo tão ruim como as matérias da época, tendendo a bizarrice e ao exotismo. Vi também, iniciativas interessantes que deram em nada e outras que naufragaram em amadorismo. Pretendo do erro destes, aprender para desenvolver um bom material.

A mais ou menos 2 anos, venho pensando e conversando com pessoas próximas para viabilizar o projeto. Com a graduação concluída, preparei um projeto de mestrado que em breve passará pelo edital de seleção da Universidade sobre esse mesmo tema. Li uma bibliografia considerável tanto da academia como de outros autores, tanto sobre o tema como da teoria do documentário. Tenho experiência com história oral. Trabalhei em fundações e institutos, ajudando no lançamento de livros, portais virtuais, exposições. Depois junto de meus amigos Alessandro Soares, Vinícius Rodrigues, Rodrigo Dom e os loucos "Alves Brothers" Fernando e Renato, saímos da idéia, para começar a realizar, esse trabalho/estudo sobre o período 1989-2000.

Desde outubro de 2008, estamos gravando entrevistas numa média de 2 horas cada, onde cada depoente narra sua trajetória e um pedaço de sua vida. No momento estamos com quase 40 horas de material bruto, e começando uma pequena seleção. Por mais louco que possa parecer isso é só o começo. Pretendemos gravar 80 entrevistas, onde os próprios depoentes narrem através de suas trajetórias de vida, a história da segunda geração do punk, e a consolidação da cena hardcore. Do acervo pessoal deles estão surgindo videos de show, fanzines, flyers, fotografias, cartazes, cds, compactos 7", lp´s, informativos, material precioso para análise e visualização do que foi a produção do período. Ao final da etapa de realização teremos um rico acervo de memórias que ainda estou estruturando melhor as idéias do que fazer/produzir depois do documentário.

Como não podia deixar de ser, esse documentário esta seguindo a lógica do faça-você-mesmo. Foi assim que aprendemos a fazer as coisas, e provavelmente assim que elas serão levadas até o produto final. Cientes que "faça-você-mesmo" não significa fazer algo mambembe ou precário, significa tomar posse de ferramentas que não se domina, e aprender a usá-las. Esse blog foi criado como uma forma de divulgar esse trabalho e viabilizar contatos, bem como mostrar o andamento da produção em pequenos trechos que serão disponibilizados aos poucos. Auxílio de cunho técnico e financeiro são bem vindos. Se quiser colaborar, enviando sugestão ou material, sinta-se a vontade, nos escreva e trocamos uma idéia.

Marcelo Fonseca
fevereiro/2009