17 de jul de 2011

Menção Honrosa!

Sábado 16/7 foi dia de show da tour do Limp Wrist no CCJ, zona norte de São Paulo. Aproveitamos para fazer a entrevista do Martim Sorrondeguy ( Los Crudos/Limp Wrist). Queríamos colher suas impressões sobre a passagem do Crudos pelo Brasil durante os anos 90. A entrevista foi primorosa não só pela simpatia do Martim, como pela disposição dos amigos que foram a equipe de apoio nessa gravação. Muito obrigado Luciano Juliatto, Flávio "Cuca" Scaglione, Felipe Madureira e Xavero.

o bonde não pára!
abraços!

Reformulações e novos encaminhamentos

A produção não pára. E o amadurecimento de idéias, nos leva a encarar a produção em um ritmo que não pode atropelar as coisas de serem bem feitas. E para que tudo role da melhor forma mudanças são necessárias.

O documentário agora é uma co-produção com a Berinjela Filmes. Com amigos de longa data e também envolvidos com o hardcore dos anos 90. Apesar dos novos equipamentos, precisávamos de mais parceiros auxiliando o desenvolvimento do doc.

O roteiro e direção agora é feita a quatro mãos, com entrada de George Ferreira, amigo próximo que sempre se dispôs a auxiliar a produção. Sua entrada não só enriquece, mas coloca novos pontos a serem explorados, para que o documentário não siga uma visão única.

Essas mudanças nos obrigaram a encarar a produção em fases. A primeira, na qual postávamos trechos de divulgação do canal do youtube serve como pré-produção e pesquisa. Esse rico material (usado também na pesquisa de mestrado de Marcelo Fonseca) deu as coordenadas iniciais da história a ser contada. Principalmente, as pessoas e seus pontos fortes a serem explorados na narrativa. A segunda fase iniciada esse ano, começa com a organização da narrativa, levantamento e seleção de materiais diversos para contar essa história. As gravações continuam com um melhor apuro técnico fruto da nova parceria e do auxílio de uma equipe de colaboradores.

O blog agora será um diário da produção. E principal canal de troca com pessoas interessadas em participar do projeto. Estamos numa fase que quanto mais gente disposta a ajudar, trazer material, e colaborar melhor. A maior lição que tiramos do "faça-você-mesmo" é que podemos realizar muitas coisas sem sermos peritos nisso. Só que para que o filme aconteça de fato, precisamos agregar mais e mais interessados nessa idéia.

Volte sempre,
a coisa não para mesmo!

Marcelo F.
17/07/2011