20 de jul de 2009

Carlos "Mamá" - 27/06/2009

Alguns setores do punk sempre tiveram uma aproximação maior com as questões políticas. De determinadas maneiras, o punk sempre colocou importantes questões na pauta do dia. Uma destas, a luta contra a homofobia. Por outro lado, do discurso para a ação prática, nem sempre tudo foi como nas letras das músicas. Mamá mora em Curitiba, e aborda em seu comentário as questões de sexualidade no âmbito do punk, a partir de suas experiências, mostrando que essa comunidade também tem espaço para a auto-crítica.

8 comentários:

  1. Boa Mamá!
    Comentário importante.
    Abraço.
    dudu

    ResponderExcluir
  2. Pois é, Dudu...também achamos bem importante falar sobre esse assunto no blog, e documentário. Nessa noite foi foda, estávamos todos cansados,e com sono...um dia inteiro de muita correria, mas valeu muito a pena. Adorei.
    Valeu Marcelo irmão...o caminho é esse mesmo!

    ResponderExcluir
  3. Ah! Eu tive várias camisetas serigrafadas pelo Mamá no apê perto da reitoria! Tenho uma do Odyssey até hoje! hhehehe... e o Marinheiro tbém!
    =D
    Tô me sentindo meio velha hein? Isso faz uns 9 anos! Conheci o Mamá em 2000, quando eu mudei pra Ctba!!! Bons tempos né Mamazito?

    ResponderExcluir
  4. Ótimos tempos, Chris...diria que foi a melhor fase de Curitiba.
    inocência e sinceridade.

    ResponderExcluir
  5. Sem duvida o Mamá foi uma pessoa batalhadora na cena Hard Core No Anos 90, sem duvida um grande amigo.....Parabens cara se voce tiver por ai Me Add rj.np@hotmail.com abração
    Rodrigo Jacaré & Academic Worms

    ResponderExcluir
  6. Po, eu tenho os fanzines dele ate hoje! O cara realmente falou na época o que precisava ser dito!
    ps: tb tenho a demo e os zines do rodrigo que postou tb :)

    ResponderExcluir
  7. o mama eh foda e teve uma merecida influencia. pena q ela atualmente eh restrita num nicho.

    ResponderExcluir
  8. Tive a oportunidade de estar presente na hora dessa entrevista e ficou foda demais, a cada palavra do Mamá eu ficava arrepiado, pq tinha tudo haver comigo e o Marcelo conduziu absurdamente bem.

    Abraço
    FOCA

    ResponderExcluir